Resenha: A Cidade Murada - Ryan Graudin

20 de janeiro de 2017

A Cidade Murada
ISBN-13: 9788565765633
ISBN-10: 8565765636
Ano: 2015
Páginas: 400
Idioma: português
Editora: Seguinte
Lido em: Janeiro de 2017
A Cidade Murada é um terreno com ruas estreitas e sujas, onde vivem traficantes, assassinos e prostitutas. É também onde mora Dai, um garoto com um passado que o assombra. Para alcançar sua liberdade, ele terá de se envolver com a principal gangue e formar uma dupla com alguém que consiga fazer entregas de drogas muito rápido. Alguém como Jin, uma garota ágil e esperta que finge ser um menino para permanecer em segurança e procurar sua irmã. Mei Yee está mais perto do que ela imagina: presa num bordel, sonhando em fugir… até que Dai cruza seu caminho.
Inspirado num lugar que existiu, este romance cheio de adrenalina acompanha três jovens unidos pelo destino numa tentativa desesperada de escapar desse labirinto.
     Helloo, folks... tudo numa nice?
  Bem, confesso que a primeira vez que vi esse livro achei que era com uma temática adulta e na época que o vi no book haul do blog de alguém, não me vi muito interessada até porque a capa não me chamou a atenção (eu ainda preciso melhorar essa questão de amar capas bonitas) e eu estava numa vibe de jovem adulto e decidi deixar passar – até porque naquela época eu lia livros pela capa, até hoje leio muitos livros sem conferir a sinopse ahaha, porque gosto da surpresa.

Top 3: Sad Songs

18 de janeiro de 2017

     Helloo, folks... tudo numa nice?!
  Bem, hoje eu tinha um post totalmente diferente em mente para trazer aqui – que seria a resenha de Cidade Murada – mas a situação do dia, e ontem mesmo a noite, pediram uma playlist de sad songs. Não sei se vocês já sabem, mas eu gosto de escutar músicas tristes e ler livros tristes. Mas acredito que porque não estou mais acostumada e porque perdi a prática e nunca mais li um livro YA sick lit ou coisa parecida, que estou em choque, destruída e chocada - meu vício tem sido fantasia por muitos meses. Terminei de ler O Livro de Memórias e não pensei que gostaria tanto ou que choraria como chorei. É um livro bem bonito e diferente do que eu esperava.
   Enfim, hoje decidi compartilhar o meu TOP 3 de sad songs favoritas de todos os tempos.

Resenha de Filme | Mogli: O Menino Lobo

16 de janeiro de 2017

Título: The Jungle Book
Data de lançamento: 14 de abril de 2016
Direção: Jon Fevreau
Canção original: The Bare Necessities
Roteiro: Justin Marks

Depois de ter sua vida ameaçada por um temível tigre, Mogli, um menino criado por lobos, deixa o seu lar na selva e parte em uma viagem de autodescoberta, guiado por uma pantera austera e um urso alegre e independente.

Helloo, folks... Tudo numa nice?!
Today eu vim conversar com vocês sobre um filme que, tenho certeza, noventa por cento da população conhece ou assistiu, exceto eu. Quer dizer, até esse ano eu nunca tinha assistido. Que é The Jungle Book, mais conhecido como Mogli. Só quero dizer uma coisa: awesomeness defines.
   Não vou falar sobre a estória porque acredito que todo mundo já conhece - além de que a sinopse está aí - e eu só quero falar da minha experiência.

Filmes que quero conferir ainda nesse Mês

14 de janeiro de 2017

     Helloo, folks... tudo numa nice?!
  Well, hoje eu vim trazer um post super rápido para compartilhar com vocês os dois filmes que pretendo assistir nesse mês ainda. Eu não sou muito de assistir filmes, mas sim séries e definitivamente vôlei. Mas esse ano decidi mudar isso e há algum tempo já venho querendo conferir esses dois. Na verdade quero conferir mais, porém decidi colocar as expectativas baixas, os pés no chão, para poder me concentrar e assistir isso tudo - se as leituras e meus próprios livros deixarem ehehe.

Estados Unidos, 1951. O país vive uma era sombria. Jovens estão sendo recrutados e enviados para a guerra na Coreia. Marcus Metzner está particularmente aliviado por ter conseguido uma vaga na Universidade de Ohio, o que lhe dispensa do serviço militar. A partida para a faculdade também significa que ele escapará enfim de seu pai autoritário e paranoico. Mas a vida universitária não será tão fácil quanto parece.
Quero assistir esse filme por motivos de: Logan Lerman eas boas críticas que esse longa obteve. Gosto demais desse cara e estava procurando um filme dele para assistir - eu tinha visto o trailer desse filme no ano passado e olha só quando decidi conferir. Demorei demais ahaha, mas vou dar uma olhada nesse drama. 

 Neste filme Guardiões da Galáxia Peter Quill se vê como objeto de uma caçada implacável após roubar uma misteriosa esfera cobiçada por Ronan, um vilão poderoso com ambição que ameaça todo o universo. Para fugir do determinado Ronan, Quill é forçado a fazer uma complicada aliança com um quarteto de desajustados – Rocket, um guaxinim atirador, Groot, uma árvore mutante humanoide, a mortal e enigmática Gamora e o vingador Drax, o Destruidor. Mas quando Quill descobre o verdadeiro poder da esfera e o perigo que ela representa para o cosmo, ele deve fazer seu melhor para reunir seu grupo desorganizado para uma última e desesperada resistência – com o destino da galáxia em jogo.
Well, eu já assisti um seriado bem antigo com o Chris e Jurassic e quando o vi não fazendo papel de lerdo e idiota achei estranho. Até porque antes ele era meio esquisitinho e tals, o tempo foi bom com o ator. É aquela história da panela velha e blá blá blá. Mas o motivo de eu querer assistir esse filme não é ele, é simplesmente porque estou em off com a maioria dos longas de super heróis e decidi ver esse logo ahaha.

Bem por hoje é só, folks. Só queria trazer esse post sobre as adaptações que vou conferir ainda nesse mês.
XO XO

Resenha: A Megera Domada - William Shakespeare

12 de janeiro de 2017

A Megera Domada
Adaptação Walcyr Carrasco
ISBN-13: 9788532271983
ISBN-10: 8532271987
Ano: 2009 / Páginas: 119
Idioma: português
Editora: FTD
Um rico mercador de Pádua, na Itália, decide que sua filha mais jovem, a doce Bianca, só se casará depois da mais velha, a terrível Catarina. Quem se atreveria a querer conquistar o coração de Catarina? Só mesmo o louco Petrúquio, que se revelaria também um grande estrategista. Divirta-se com essa comédia do século XVI, que trata de forma hilariante a sempre atual guerra dos sexos.
  A minha primeira leitura do ano foi... um clássico. Eu sei, eu sei. Tô ficando viciada nesse gênero. Li muitos clássicos já esse mês que nem terminou, e fazendo uma análise nesses dias, percebi que li muito Shakespeare. É claro, migrei de Charles Baudelaire, Fernando Pessoa à Literatura Inglesa e Brasileira – estou estudando literatura Inglesa nesse período *-* awesome.
  Enfim, comecei a ler a Megera Domada sem pretensão alguma, eu já tinha ouvido o título antes em algum lugar, mas nunca tinha me ligado. Um fato engraçado e lerdo é que eu só percebi que era o clássico famoso um milhão de vezes adaptado quando comecei a ler. Sou muito lerda às vezes.
Então, tem uns filmes feitos como, por exemplo, Dez coisas que odeio em você com o Heath Ledger, a série de mesmo nome, adaptações literárias e coisas mais que nem sei. Não acompanho o campo dos derivados. O que eu posso realmente dizer é que li uma adaptação literária e não gostei. Achei deveras fraco porque me pareceu uma cópia dos filmes e séries, muito clichê. O que posso dizer é: a peça original é muito melhor.
    Li a versão adaptada para criança, que leva uma linguagem mais fácil, até porque Shakespeare não é nada fácil, e descomplicar para que a criança possa ler é muito bom e incentiva a ler estórias cânones desse tipo. Eu estava na casa de amigos e esse livro estava na estante da Mari e eu resolvi pegar para ler.
  Dei muitas risadas, fiquei agoniada e em embasbacada diversas vezes. Você pensa que sabe o que é uma megera até conhecer a protagonista desse livro.
  Ao começar a leitura e reconhecê-la, estava esperando uma megera de acordo com as adaptações. Me enganei totalmente. A megera muitas vezes me deu raiva e uma vontade insana de entrar na estória para estapeá-la. Oh, mulher terrível. Em algumas situações o comportamento dela é ridículo e você passa a desejar que ela melhore ou algo aconteça porque simplesmente... não dá para ficar daquela forma.
   Não vou contar a estória porque todo mundo já sabe o que acontece e é melhor você ler para não perder toda a graça, até porque você pode realmente se surpreender com um monte de coisas na estória que você não vê nas adaptações. E como é uma peça, é melhor dizer o menos possível.
   Bem, eu gostei demais da leitura, leve, engraçada e algumas vezes frustrante. O final. Meu Deus. Eu achei que tinha entendido a estória e o final era somente aquilo que estava ali. Mas o tio Shakespeare brincou com vários significados e ao término da leitura você pode interpretar a protagonista de diversas formas. Eu não vou dizer quais. Uma coisa é certa: a peça me surpreendeu, principalmente porque o autor fechou a estória, mas a tornou passível de diversas interpretações segundo o ato da megera. Gosto dos livros do Shakespeare porque ele traz um crítica à sua época e muitas outras coisas cool de analisar.
Mas quem domou quem? É uma pergunta que você só encontrará a resposta ao ler o livro.


Eu achei essas ilustrações tudo a ver e uma fofura só. *-*
Leitura mais que recomendada.
XO XO

Parceria: O Mestre das Cordas - Philippe Alencar

10 de janeiro de 2017

Helloo, folks... tudo numa nice?!
Hoje eu venho trazer uma post super cool. Esse ano o blog fechou parceria com o Phillipe Alencar. #yay Well, eu gosto de acompanhar os lançamentos da Arwen porque acho arrasadora a iniciativa da editora de publicar nacional. Então, quando vi a capa desse livro por lá eu quase tive um trem. Sério. Eu fiquei olhando por um tempo e fui procurar tudo sobre.
Quem acompanha o blog já está careca de saber que eu AMO fantasia - melhor gênero literário. Então, quando vi que o autor estava abrindo inscrições para parceria percebi que não podia deixar passar. Eu gosto de gostar de nacionais, e me engajar na divulgação deles o máximo possível e a parceria foi a oportunidade.
Vamos conhecer um pouco do autor e da sinopse do livro:


Philippe Alencar é porto-alegrense, entusiasta de literatura fantástica e aficionado por instrumentos musicais. Escrito durante sua viagem à Irlanda entre 2014 e 2015, O Mestre das Cordas é o resultado da combinação de três das suas maiores paixões: fantasia, música e literatura. Foi ainda na Europa, enquanto atuava como tradutor em uma rádio de Dublin, que Philippe escreveu os contos: O acorde Vermelho, disponível na Amazon, e Senhor Schuster, publicado na antologia Pequenos Escritos, Sinistras Histórias.


O Mestre das Cordas
Philippe Alencar
ISBN-13: 9788568255520
ISBN-10: 8568255523
Ano: 2016
Páginas: 560
Idioma: português
Editora: Editora Arwen
As terras de Arkandur formam o último continente, o único lugar onde a humanidade perseverou e vive em paz com os sábios conhecidos como magos. No entanto, tudo muda quando rituais necromânticos começam a espalhar caos e horror pelos Três Grandes Reinos. Os reis, receosos e pressionados por seus conselheiros, decidem assinar a lei que proíbe permanentemente a prática de magia. Os magos passam a ser caçados não somente pelas tropas reais, mas também pela sombria cavalaria da Justiça Armada Noturna, cujas espadas são tão gélidas quanto suas almas.Porém, dentre os poucos sobreviventes, surge Barton: um bardo capaz de tornar os sons do mundo em sua fonte de magia. Atormentado após presenciar o assassinato da esposa em um lago sem fim, o bardo vê um novo destino à sua frente quando um velho amigo o recruta para uma perigosa jornada, e juntos partem em busca da verdade por trás da sombra nefasta que devora o mundo. Atendendo ao chamado, o músico compreende a vida como uma melodia, mas inúmeros segredos estão guardados ao longo das escalas musicais que ele terá de desvendar, onde cada nota poderá surgir como um aliado... ou um algoz. Uma canção em que deuses e demônios ditam as regras, e humanos e magos clamam para si o direito de reescrevê-las.
Eu já tinha lido uma entrevista do autor e adorado conhecer sobre o processo criativo dele e essas coisas. Gente, ele começou a escrever a estória em Dublin - how awesome is that? Enfim, o Philippe misturou coisas que gosto na vida real: música e magia, presente nas fantasias épicas!!
Estou basante ansiosa para conferir a estória do Alencar e trazer minhas impressões para vocês.
Vocês podem adicionar o livro e acompanharo autor nas redes abaixo, além é claro, de adquirir o exemplar ;) 

That's it for today, folks.
XO XO

Tecnologia do Blogger.