Resenha: Por Um Toque de Ouro - Carolina Munhoz | Quando é Inevitável Abandonar um Livro

1 de ago de 2015

Por Um Toque de Ouro - Depois do bem-sucedido O Reino das vozes que não se calam – criado em parceria com a atriz Sophia Abrahão e desde o lançamento na lista dos mais vendidos de ficção nacional da Nielsen – a escritora Carolina Munhóz apresenta Por um toque de ouro, que abre a Trindade Leprechaun, sua primeira trilogia, inspirada nas lendas irlandesas. Ambientado na Dublin contemporânea e protagonizado por uma jovem ligada ao mundo fashion que descobre ser herdeira de uma rara linhagem de seres mágicos considerados guardiões de potes de ouro, Por um toque de ouro é um romance de fantasia urbano e contemporâneo.

Hellooo gente...
Como vocês devem ter percebido ultimamente só tenho feito resenhas e o motivo é porque estou trabalhando no meu livro. Anyway essa é uma resenha diferente, pois é sobre um livro que abandonei. Quem confere a minha conta no Skoob já deve ter visto que larguei cinco livros. Não queria fazer isso, mas foi absurdamente necessário. Não tem aquelas obras sem sentido que você lê e pensa: porque estou lendo esse negócio? Pois é. Foi isso que senti ao ler Por Um Toque de Ouro. Completa perda de tempo. Eu já tinha chegado em 65% do livro, mas não sentia vontade nenhuma de continuar e saber o que aconteceria com a personagem. Nada me fisgou. Nada me chamou a atenção (além é claro dos pontos ruins que foram muitos). E nada me fez tentar não larga-lo de vez.

      Como leio muitos livros de autores estrangeiros sempre acho que é uma boa ler autores nacionais, prestigiar e reconhecer os seus trabalhos. Eu queria ler algo de um autor brasileiro. Nesse ano li algumas obras que me decepcionaram profundamente e estava procurando alguém que emplacasse e eu pensasse: Hum, isso é realmente bom.

       Peguei o livro da Carolina com expectativas lá em cima. E isso só aconteceu porque estava rolando comentários na faculdade sobre como estavam decepcionados com a escrita dela em “ O Reino das Vozes que Não se Calam”. Como nunca tinha lido nada dela resolvi que queria dar uma chance. Queria gostar do livro dela. Então resolvi ler Por Um Toque de Ouro porque achei a capa bonitinha e era o mais novo lançamento dela.  Comecei a ler de madrugada e acho que parei na página 10. Ainda não estava decepcionada até que de repente entendi a personagem e queria seriamente que ela se ferrasse para tirar toda pompa ridícula e perdesse naquele cassino.

       Com o desenrolar dos fatos achei que tudo era injusto e não conseguia sentir empatia por ela. Na verdade não consegui desde o começo do livro. Nunca conheci um personagem tão antipático na minha vida. Tive uma cota elevada de livros regulares e ruins este ano, mas esse foi o pior deles. Inefável de tão ruim. A escrita não era boa. Estava forçada e não fluía nem uma vez. Tipo, numa linha ela falava de um personagem, na outra de outro e tudo isso no mesmo parágrafo. E ficava forçado. O problema era que ela não conseguia fazer ligações entre eles e ficava solto e cansativo.

    Outro ponto: Parecia que estava lendo um catalogo turístico do que lendo um livro em si. Fiquei bastante incomodada porque parecia que a autora não sabia falar sobre os lugares e de tempos em tempos os ressaltava do nada num jeito tão... caramba, não sei nem dizer as palavras corretas sobre isso. Eram soltas as menções dos lugares. Como se ela não tivesse trabalhado direito num jeito de mesclar e deixar tão óbvio que ela não é de lá.

     As gírias usadas pelo amigo dela realmente me tiraram do sério.  Amore, por exemplo. Abrasileiraram todo o conteúdo e por isso volto a repetir que parecia mais uma história forçada onde a autora se esforçava para realoca-la em outro lugar numa tentativa falha de “mudança de cenário”.

      Deixou muito a desejar. Ficou tudo muito forçado como se ela não conseguisse se inteirar com o que estava propondo.

      Fico bastante chateada em ter que fazer um comentário enorme desses. Gosto de ler livros brasileiros e realmente gostar deles.  Fico chateada e demorei muito para escrever isso aqui porque estava irritada. Tentei deixar de lado por um tempo para retomá-lo de novo, mas não rolou a catarse (só usei essa palavra por não encontrar outra menos intricada e séria, até porque é um livro de romance YA não vai ter necessariamente mensagens de mudança de vida e essas coisas.) esperada.

       Achei toda a obra até onde li o cúmulo da futilidade. É óbvio que nem sempre um livro vai nos passar uma lição de moral e tals, mas esse livro me ensinou que existe personagens ruins, personagens maus e a Emily (a personagem principal.). Fútil é o sobrenome da garota. E irritada, é claro. A primeira vez que decidi que queria abandonar o livro foi quando Emily estava numa festa e se esbarrou num cara. E esse simples esbarrão foi o suficiente para ela se irritar e fica fora do sério durante toda a festa numa maneira estratosférica. Tipo, sério? Por causa de um simples esbarrão ela ficou no limite e os pais correram atrás dela, preocupados, como se fosse o fim do mundo. Como se a vida dela tivesse sido estragada para sempre.

       Quando isso aconteceu eu parei um instante e pensei comigo mesmo (na verdade torci): vai melhorar. Vai melhorar. O problema é que entendo de personagens principais irritantes porque já criei alguns e sabia bem o ponto em que queria que mudassem de atitude. Mas Emily era pioneira em ser fútil, postar fotos em redes sociais toda hora, mostrar como ser uma boa vagal na faculdade e surtar quando não tinha o que queria.

        A roda de “amigos” dela era igualmente irritante. Acho que ela os esnobava e não os tolerava tanto assim porque eram iguais a ela. É a aquela musiquinha. Um elefante incomoda muita gente. Dois elefantes incomodam muito mais... e assim vai. As coisas “anormais” que aconteceram não foram bem exploradas pela autora a meu ver e não me convenceram. Gosto muito de mitologia, lendas, mas ela conseguiu me fazer detestar essa.

        Enfim, tinha muito mais para falar sobre esse livro (sobre os inúmeros pontos ruins), mas não quero mais porque me sinto chateada em ter que descreditar um autor brasileiro e porque toda vez que me lembro dos pontos ruins fico irritada. Como devem ter percebido não lerei as próximas obras e muito menos outro livro da autora porque tenho medo de desabafar novamente dessa maneira. Não recomendo o livro nem para você ler se estiver de bobeira e não tiver nem um livro para ler. É melhor dormir e relaxar olhando o céu.
*Créditos da Imagem: Farofa Nerd
Nota:  1/5

5 comentários:

  1. Oii!
    Não gosto de ler livros brasileiros porque sempre me decepciono muito, acho que por ler tantos livros estrangeiros, acabo tendo expectativas muito mais elevadas em relação aos livros nacionais e, talvez, por isso que na maioria das vezes me decepciono.
    Nunca li nenhum livro da Corolina Munhóz, apesar de já ter tido vontade por causa da capa até eu descobrir que era brasileiro, então... pulei fora. Dá pra contar no edo e uma mão quantos livros brasileiros consegui ler todo e gostar, é triste dizer.
    E quanto a abrasilerar palavras: não me importo, porque é um livro brasileiro e isso é esperado, mas amoreco? quem é que fala isso WTF?! Gente, peloamordeDeus!
    Gostei bastante da resenha!
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Não recomendo o livro nem para você ler se estiver de bobeira e não tiver nem um livro para ler. É melhor dormir e relaxar olhando o céu."
      morri e rir lendo isso, kkkkkkkkkk

      Excluir
    2. Obrigada por gostar da resenha Dani!! *-* Fiquei bastante chateada e acho triste a pouca qualidade na literatura dos autores brasileiros!! Anyway, fazer o que néh?!
      P.S.: Tu mudou o template. Ficou muito legal!! *-* Não tenho coragem de fazer isso por causa do mô trabalhão kkkk
      beijin...

      Excluir
    3. Eu sei como é, mas eu fiz um outro blog só pra testar layouts, por isso quando mudo, muda logo tudo de uma vez e fica bem melhor :) Mas esse layout que encontrei foi tão fácil de mexer, não deu nem trabalho! :)
      Beijos :*

      Excluir
  2. Oi Alana,
    Confesso que tenho esse livro faz um tempão e ainda não li, mas pretendo ler em breve! <3
    http://quetal-carol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir