Resenha: A Joia - Amy Ewing

20 de abr de 2016
    Helloo, people, everybody, todo mundo... Tudo numa nice?!

     No ano passado eu estava numa fase doida de ler tudo que era lançamento. E A Joia foi um desses livros que me chamou a atenção, tinha visto algumas resenhas positivas por aí e fiquei curiosa. O negócio é que eu tinha expectativas altíssimas para esse livro e me pareceu uma boa leitura, diferente e intrigante no início, até que a parada desandou um pouco para mim. O livro tem prós e contras que estabelecerei abaixo no decorrer do resenhas, mas você já deve estar ciente de algo: a obra decorre bem, com um ritmo quase próprio. Fiquei impressionada com a distopia que Amy criou: em alguns termos, original e cruel.

Título: A Joia
A Cidade Solitária # 01
Autor:  Amy Ewing
ISBN-13: 9788544101841
ISBN-10: 8544101844
Ano: 2015
Páginas: 352
Idioma: português
Editora: LeYa
Lido em: Maio de 2015
Joias significam riqueza, são sinônimo de encanto. A Joia é a própria realeza. Para garotas como Violet, no entanto, a Joia quer dizer uma vida de servidão. Violet nasceu e cresceu no Pântano, um dos cinco círculos da Cidade Solitária. Por ser fértil, Violet é especial, tendo sido separada de sua família ainda criança para ser treinada durante anos a fim de servir aos membros da realeza. Agora, aos dezesseis anos, ela finalmente partirá para a Joia, onde iniciará sua vida como substituta. Mas, aos poucos, Violet descobrirá a crueldade por trás de toda a beleza reluzente - e terá que lutar por sua própria sobrevivência. Quando uma improvável amizade oferece a Violet uma saída que ela jamais achou ser possível, ela irá se agarrar à esperança de uma vida melhor. Mas uma linda e intensa paixão pode colocar tudo em risco! Em seu livro de estreia, Amy Ewing cria uma rede de intrigas e reviravoltas na qual os ricos e poderosos estão mais envolvidos do que se possa imaginar, e onde o desejo por saber o destino de Violet manterá o leitor envolvido até a última página.

    Violet é tirada de sua família aos doze anos e é levada para um internato onde ela deve aprender a usar seus presságios e se preparar para ser uma boa substituta, porque, de alguma forma, as famílias pobres tem genes melhores para se reproduzirem do que a realeza. Violet é submetida a diversos processos para aparecer apresentável no Leilão para enfim ser vendida para uma boa família e iniciar o processo para ter uma boa gravidez. Ela tem que trabalhar muito para ter os melhores genes.
Um: ver o objeto como é. Dois: ver o objeto em sua mente. Três: submetê-lo à sua vontade.
     Mas há coisas mais cruéis por vir e toda sua vida muda drasticamente quando chega na Joia e é submetida a um choque de realidade cruel.
Confesso que fiquei perplexa com a frieza das mulheres e com todas as mentiras e armações que ocorrem na cidade. É uma sociedade ensandecida de loucura e soberba. Achei bem interessante o universo que a autora criou. Todo o processo de poder e ganância, a escravidão imposta me deixou impressionada.
    Geralmente não gosto de trilogia porque sempre tem aquela parada dos triângulos e essa chatice, nesse livro não foi evidente isso, mas, houve algo que me incomodou e muito, bem como a outras blogueiras e youtubers que vi por aí. Senti-me um pouco aliviada por não estar sozinha nessa.
    Como eu disse, o livro estava indo muito bem, mas o problema foi quando o romance aconteceu, e, de abrupto por sinal. O incrível e ilógico foi que só bastou ela olhar uma vez para o guri que apareceu do nada na mansão tipo assim... ela se apaixonou por ele. Fala sério néh! Essa parte foi bastante infantil. DETESTEI. Como assim com um único olhar você já desvenda um trilhão de coisas sobre a pessoa e vê a sensibilidade e blábláblá... não enche!! Eu simplesmente não concebi o romance.
 Por um instante achei que eu era insensível e não entendia de “amor” porque vi tantas resenhas positivas, mas voltei a mim e decidi que o negócio ocorreu rápido demais sim.  Não é dessa forma que rola. E eu tentei, mas não senti nada nesse romance. Toda aquela paixão toda que estavam sentindo não era palpável e parecia sem sentido demais para mim. A autora poderia ter deixado a estória sem esse romance se realmente quisesse que ficaria boa.
Nem esse trecho do livro me convenceu. Na verdade me deixou mais incrédula sobre esse romance!!
— Violet — diz, e quando olha nos meus olhos, meu estômago parece  dar um salto. — Acho... acho que amo você. Sinto me dissolver em mil moléculas, me espanto como duas palavras podem alterar completamente minha disposição.— Acho que também amo você — sussurro.
              Sem graça e sem sal.

      Como é que Violet mal conhece o cara e já sente o coração dar cambalhotas, o rosto queimar. Não é possível. Mas, enfim, havia personagens bem interessantes e amáveis nesse livro. Gostei muito da Annabella, Lucien e Hazel (apesar de ela ter aparecido pouco) e Garnet, o filho da Duquesa - ele era todo cheio de marra e parecia despreocupado. Tive uma relação odiosa com Ash, o cara proibido.
      Para quem gosta de distopia e esse romances abruptos e meio sem sentido e sal, outras pessoas podem achar que é lindo e tals esse book, mas não rolou comigo, é uma boa pedida. Há uma comparação severa com A Seleção, mas não vá com sede ao pote. Vocês devem já estar cientes que odeio comparações. Mas como tem essa questão de realeza, talvez por isso que as pessoas comparam. Eu digo que cada livro tem sua singularidade e seu próprio prospecto.
Eu me decepcionei com algumas partes do livro, mas não posso deixar de lado que, pelo menos, a metade da obra foi boa e bem interessante por isso merece um pouco de relevância por mostrar um pouco de originalidade.        
        Há um gancho no final, como toda trilogia, que te faz pensar: what the hell? Mas, sendo sincera, eu simplesmente me incomodei com algumas partes do livro e nem sei se  irei ler os próximos.
Mas cada um tire suas próprias conclusões para com a obra.
Nota: 3/5
Beijin... 

7 comentários:

  1. Oi, Alana!
    Também já deu pra mim esses amores de sopetão. E foi isso que me desanimou a ler esse livro, pois ele parecia ser uma boa leitura.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Oi
    já vi resenhas positivas e negativas dele e por isso fico curiosa em ler, mas eu também não gosto muito de paixão ao primeiro olhar sem nem conhecer a pessoa.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Ixi, te entendo perfeitamente... fica difícil engolir premissa assim, eu particularmente nem tento, provavelmente nem chegarei perto kkkkk
    Bjos

    EuVocê&oslivros

    ResponderExcluir
  4. Olá ! <3
    Eu amo o seu blog, eu decidi seguir seu blog , Você me seguir também?
    Uma saudação. Thank you.
    xox
    Laura
    obsesionporlalectura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Great synopsis. I haven't read the book but am curious about it. Lovely blog here btw! Would you like to follow each other on GFC? Please let me know on my blog so I can follow back. Thank you.
    xox
    Lenya
    FashionDreams&Lifestyle

    ResponderExcluir
  6. Oi Alana! É realmente muito ruim quando a gente cria expectativas para um livro e acaba se decepcionando totalmente, mas eu acho que esse livro cairia bem para mim sabe? Também curto livros desse tipo, só espero não criar altas expectativas e acabar me decepcionando kkkkk.

    garotoliterariio.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Hello Gabriela!
    Esse livro me lembra muito a trilogia A seleção, tanto a capa quanto a história, parece ser muito legal. Bjos.

    preguicaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir