Resenha: A Cidade Murada - Ryan Graudin

20 de jan de 2017
Helloo, folks... tudo numa nice?
  Bem, confesso que a primeira vez que vi esse livro achei que era com uma temática adulta e na época que o vi no book haul do blog de alguém, não me vi muito interessada até porque a capa não me chamou a atenção (eu ainda preciso melhorar essa questão de amar capas bonitas) e eu estava numa vibe de jovem adulto e decidi deixar passar – até porque naquela época eu lia livros pela capa, até hoje leio muitos livros sem conferir a sinopse ahaha, porque gosto da surpresa.
A Cidade Murada
ISBN-13: 9788565765633
ISBN-10: 8565765636
Ano: 2015
Páginas: 400
Idioma: português
Editora: Seguinte
Lido em: Janeiro de 2017
A Cidade Murada é um terreno com ruas estreitas e sujas, onde vivem traficantes, assassinos e prostitutas. É também onde mora Dai, um garoto com um passado que o assombra. Para alcançar sua liberdade, ele terá de se envolver com a principal gangue e formar uma dupla com alguém que consiga fazer entregas de drogas muito rápido. Alguém como Jin, uma garota ágil e esperta que finge ser um menino para permanecer em segurança e procurar sua irmã. Mei Yee está mais perto do que ela imagina: presa num bordel, sonhando em fugir… até que Dai cruza seu caminho.
Inspirado num lugar que existiu, este romance cheio de adrenalina acompanha três jovens unidos pelo destino numa tentativa desesperada de escapar desse labirinto.
     

    Mas enfim, quando vi no ano passado uma resenha arrasadora do livro Lobo por Lobo fiquei super curiosa para conferir algum livro da autora e decidi começar por A Cidade Murada. A estória fluiu muito bem, há uma fluidez e tensão e ansiedade que intriga, fisga e prende o leitor pelas páginas. Mas infelizmente não consegui gostar muito dos personagens e tive alguns problemas com a escrita com teor juvenil da autora, as metáforas meio sem sentido e algumas questões na escrita que ficaram firuladas demais e não iam direto ao ponto. Como por exemplo, quando alguém leva uma facada, na minha mente a pessoa leve uma facada. No livro, em diversas vezes a autora contornava e muitas vezes se valia das confusões da mente das personagens em situações extenuantes. Mas acredito que isso se dá porque a obra foi escrita em primeira pessoa e somos reféns dos sentimentos das personagens e também porque é um livro um pouco mais juvenil.
     Não é ruim, na verdade agradou a maioria das pessoas e em boa parte o livro também me agradou, talvez por causa de toda a tensão e a ansiedade para que as coisas dessem certo para a Jin – que foi a única personagem que gostei de verdade - que prossegui com a leitura.
    A premissa de A Cidade Murada na verdade é bastante criativa e interessante, até porque o lugar realmente existiu – e eu até fui procurar saber e ler um pouco, pois sou bastante curiosa com essas coisas. A Cidade Murada na China foi a maior favela vertical existente em todo o mundo.
   Jin é uma personagem forte e na verdade muito altruísta e persistente. Desde criança se doou pela sua irmã, quando seu pai, bêbado, queria bater na mulher e na filha Mei, Jin se colocava na frente e não deixava que o pai batesse na irmã e apanhava no lugar dela, porque na cabeça de Jin, Mei era uma porcelana que devia ser cuidada, diferente dela. Uma coisa que eu percebi e que queria ressaltar aqui é que Jin se importava com a sua falta de beleza exterior e nem percebia o quão amável, verdadeira e boa ela era e procurava ser por dentro, de modo que transbordava.
   Mei é irmã de Jin e foi vendida pelo pai a fim de ele continuar comprando suas bebidas. Ela é levada a viver na Cidade Murada e é usada num bordel. Quando li a estória da Mei fiquei chocada com o que ela sofria e deveria passar, e o martírio dela é terrível, mas as duas irmãs sofrem de igual modo. Jin sofreu muito e tudo pela irmã, tentando sempre mantê-la em segurança e se doando para ela.
    Dai é um garoto misterioso que está vivendo na Cidade Murada e esconde um segredo sobre sua estada ali. Eu gostei dele durante uma parte do livro, mas em alguns momentos Dai tomou algumas decisões que me deixaram irritada.
Olha a Cidade Murada, gente! 
   Enfim, um dos motivos de a leitura ter broxado para mim foi o instalove que, aliás, não me convenceu e me soou muito precipitado, rápido e até mesmo irreal. Como que você vê uma pessoa pela primeira vez e consegue, tipo, discernir tudo sobre ela, sentimentos e emoções, só encarando a pessoa? E como você vê a pessoa uma única vez, não conhece e já está confiando tipo cegamente, sentindo borboletas e coisas parecidas? Não acredito que isso possa realmente acontecer, só em contos de fadas.
  Também não acreditei na maldade que Dai dizia provir dele e nem no romance. Não consegui sentir empatia pela Mei porque tudo que ela fazia parecia ser somente pensar em si mesma enquanto a irmã estava apanhando nas ruas, sofrendo e correndo em busca dela. Como disse acima, em alguns momentos a linguagem firulada demais não imprimiu o choque que estava esperando em diversas situações da estória, mas atribuo isso ao teor mais puxado para o juvenil da obra. De qualquer forma, eu recomendo a leitura apesar de não ter apreciado o suficiente, pois sei que outras pessoas certamente gostarão e muitas gostaram.
Esse livro faz parte da seleção que fiz para o desafio literário.
Por hoje é só, folks.

XO XO

18 comentários:

  1. Oiii Alana

    Eu tenho esse livro pendente pra ler (espero gostar dele), a premissa é bastante interessante, uma pena que o livro em si teve esses pequenos falhos que não te convenceram totalmente.

    Beijos

    aliceandthebooks.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Alana, tudo bem?

    De fato não é um livro que a primeira vista chame muita atenção rsrs Tb não curto muito esse negócio de amor instantâneo, confesso rsrsrsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Olá, Alana.
    Apesar de todas as suas ressalvas, é um livro que eu tenho interesse em ler. Não gosto de narrativa em primeira pessoa exatamente por isso que você citou da gente ficar preso a visão do personagem que está narrando. E quanto ao amor a primeira olhada só funciona em filmes e livros porque amor só acontece com o tempo.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Oiii!!

    Esse não é um livro que eu tenha muita curiosidade, dei de presente para um amigo e até hoje ele não leu, inclusive hahahaha. Mas eu gostei bastante da sua sinceridade!
    Que pena que não funcionou com você... PElo o que eu li, tbm não funcionaria comigo... E sinceramente, capas lindas são necessárias vai ahahahahah

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Oi, Alana. Vou te contar que não sou muito fã desse tipo de livro, mas gostei demais da premissa. O problema para ler é que não gosto de instalove, essas coisas que acontecem do nada sempre me aborrecem, sem contar que certamente iria viver com raiva da Mei por ela não reconhecer o quanto sua irmã a ama e quer protegê-la, mesmo assim, não descarto a possibilidade de ler o livro.
    Beijo! https://leitoraencantada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oii Alana!
    Gostei da premissa, fiquei bem curiosa, realmene essa capa não é daquelas que ( te chama por dentro ) haha

    Abraços;**
    http://FebredeLivro

    ResponderExcluir
  7. Oi, Alana!
    Gente, que história hein.. Essa capa aí parece mais de um livro histórico que um infanto-juvenil.
    Eu não sou muito fã de instalove, então só aí seria um ponto negativo na leitura.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Quatro Anos de Minhas Escrituras

    ResponderExcluir
  8. Eu gostei da sinopse, uma pena que o desenvolvimento não tenha te cativado tanto assim. Também não gosto desses romances que surgem do nada, acho tudo muito forçado. Pelo que você descreveu dos personagens, não chamaram muito minha atenção também :/

    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Alana!
    A Cidade Murada está na minha lista de leituras para depois da faculdade haha, a premissa me chamou muito a atenção e tenho uma amiga que simplesmente ama essa história. Eu acho que ela funciona diferente de pessoa para pessoa, principalemnte por causa do amor instantâneo e tudo o mais. É uma pena que tu não gostou, quem sabe numa próxima vez né? haha
    Bjus

    ResponderExcluir
  10. Também não curto esses romances tipo miojo não, viu! hahaha Sério, acho muito forçado. Que pena saber que esse livro tem disso, gostei tanto do enredo. Mas, apesar disso ainda quero ler a obra, nunca li nada do autor e estou bem curioso quanto a sua escrita.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Alana, você tem razão a capa não é nada interessante e, de fato, se fosse para adquiri-lo pela capa eu não o faria.
    Nem a obra nos agrada 100%, isso realmente acontece, mas considere que as metáforas meio sem sentido pode ter sido um problema na tradução e possivelmente não seja um problema na escrita da autora.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Credo, como a Cidade Murada é horrorosa! E sobre o livro, a premissa não me chamou tanto assim a atenção, e essa capa também não ajudou nem um pouco.

    ResponderExcluir
  13. Oi Alana.

    Eu já tinha curiosidade de ler este livro por causa da sinopse que chamou minha atenção. Lendo sua resenha e você ressaltando vários pontos, eu ainda tenho vontade de ler e tirar minha próprias conclusões.

    Bjos

    ResponderExcluir
  14. Olá. Não conhecia o livro nem sua autoria, mas adorei saber um pouco mais sobre essa obra com tema forte e polêmico, não apenas pelo alcoolismo como pela venda da filha pelo pai e pelos dramas familiares. Parece que você não superou suas expectativas com a obra, mas vou procurar saber mais sobre ela para tirar minhas conclusões. Boa resenha! Beijos.
    Karla Samira
    www.pacoteliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá. Não conhecia o livro nem sua autoria, mas adorei saber um pouco mais sobre essa obra com tema forte e polêmico, não apenas pelo alcoolismo como pela venda da filha pelo pai e pelos dramas familiares. Parece que você não superou suas expectativas com a obra, mas vou procurar saber mais sobre ela para tirar minhas conclusões. Boa resenha! Beijos.
    Karla Samira
    www.pacoteliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Uma pena não ter apreciado tanto a obra.
    Li algumas resenhas positivas dela e fiquei bem curiosa para ler. A sua já me mostrou um ouro lado da obra, mas permaneço com a curiosidade.
    beijinho!!

    #Ana
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  17. Hey Alana! Eu apesar dos pontos negativos, eu fiquei bem curiosa para ler o livro. Como você eu não setia muita vontade olhando só a capa, mas mudei um pouco após a sinopse e sua resenha.
    Agora, mesmo com personagens juvenis, não estou conseguindo imaginar nessa história como sendo juvenil, principalmente por já ter uma ideia da história da Mei... esse detalhe da narrativa me preocupa, mas darei uma chance.
    Bjus

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem?

    Eu vi este livro em algumas boas promoções do submarino, na época em que eu ainda tinha dinheiro para comprar livros para mim (e faz tempo que não acontece isso ahahhaha), mas ele infelizmente não me chamou a atenção, principalmente por conta da capa.

    Beijos

    ResponderExcluir