Book Haul Library

3 de fev de 2017
     Hello, folks... tudo numa nice?
 Há um tempo estou sem fazer post, né? Pois é, vou explicar o porquê. Semana passada eu estava focada em responder os e-mails dos parceiros e corrigir alguns problemas em um dos meus livros, por conta disso deixei o blog de lado por um tempo e esses dias acabei ficando sem internet. Tipo, dois dias inteiros sem internet por causa da operadora que suck. Aff.
  Esse mês decidi que vou parar de me forçar a fazer um monte de post somente para manter regularidade. Vou continuar a fazer posts, é claro, mas sempre que me vir inspirada para isso. E agora que vou começar a ensinar a frequência de posts vai ficar entre dois a três por semana porque eu não gosto de fazer qualquer postagem, a maioria do que eu faço é mais intrínseco. Enfim, era isso que queria falar a priori.
   Mas vamos falar de Book Haul Library. Um book haul que eu jamais fiz. Vi um vídeo sobre isso no canal da Sara Without H. No início desse ano peguei alguns livros na biblioteca da UFS e li só alguns. Também peguei uma obra para estudo que, porém, não terminei de ler. Esses foram os livros que encontrei na UFS e me interessei. Li muito mais que isso em janeiro, of course, mas esse são os livros que escolhi para o meu book haul library.

   Li O Médico e o Monstro e logo trarei resenha para vocês - foi uma awesome leitura. Vou começar a ler Alice no País das Maravilhas. Li Macbeth depois de ter assistido ao filme e gostei bastante – não vou fazer resenha do livro porque já fiz do filme, e bem grande por sinal.


Um clássico de mistério e horror.
As suspeitas começaram quando Mr. Utterson, um circunspecto advogado londrino, leu o testamento de seu velho amigo Henry Jekyll.  Qual era a relação entre o respeitável Dr. Jekyll e o diabólico Edward Hyde?  Quem matou Sir Danvers, o ilustre membro do parlamento londrino?
Assim começa uma das mais célebres histórias de horror da literatura mundial. A história assustadora do infernal alter ego do Dr. Jekyll e da busca através das ruas escuras de Londres que culmina numa terrível revelação.

Macbeth é um general do exército escocês muito apre­ciado pelo seu monarca, o rei Duncan, por sua lealdade e seus préstimos guerreiros. Um dia, ele e Banquo, outro general, são abordados por três bruxas, que fazem os seguintes vaticínios: Macbeth será rei; Banquo é menos importante, mas mais pode­roso que Macbeth; e os filhos de Banquo serão reis. Macbeth não compreende as confusas palavras das aparições, mas elas calam fundo dentro de si. Ele relata o estranho encontro para a mulher, Lady Macbeth – uma das mais perfeitas vilãs da lite­ratura –, que, ambiciosa, exerce seu poder sobre o marido, levando-o a cometer o gesto fatal de traição ao rei que desencadeará a tragédia dos dois e uma reviravolta na corte.
Macbeth, aqui apresentada na nova tradução de Bea­­triz Viégas-Faria, faz parte da chamada "fase trágica" de Shakespeare e, juntamente com Rei Lear, foi escrita durante a maturidade do dramaturgo, entre 1605 e 1606.

Charles Lutwidge Dodgson – mais conhecido como Lewis Carroll – nasceu em 27 de janeiro de 1832 em Daresbury, Inlgaterra, e morreu em Guildford, Inglaterra, a 14 de janeiro de 1898. Seu nome está inscrito na história da literatura mundial por ser o autor de Alice no País das Maravilhas, o mais estranho e fascinante livro para crianças jamais escrito.
Filho de um pastor anglicano, Lewis Carroll tinha dez irmãos e cresceu num ambiente onde aprendeu a contar histórias e cuidar e distrair crianças. Apaixonado por matemática e fotografia, foi nomeado professor de matemática em Oxford, em 1861. Como fotógrafo amador, fotografava invariavelmente meninas entre 8 e 12 anos de idade. Sua obra-prima é fruto de uma história que narrou a Alice Liddle (então com 4 anos), amiga de suas irmãs. Seu primeiro livro, no entanto, é A Syllabus of Plane Algebraical Geometry, um tratado de matemática escrito em 1860.
Por sugestão do escritor Henry Kingsley, o livro foi publicado em 1865 sem ser especificado se era para adultos ou crianças. Foi um sucesso fulminante. Em 1871, publicou a seqüência, que seria Alice no País do Espelho. Religioso, professor, pesquisador sério, Lewis Carroll escreveu vários livros, entre poemas, ensaios científicos, textos técnicos e de ficção juvenil.
Todo mundo conhece a estória de Alice, mas eu nunca li propriamente a obra do Lewis, só algumas adaptações infantis que tinha mais desenho do que palavras. Nesse livro também algumas ilustrações lindas. Quando fizer a resenha posto aqui.
Bem, por hoje é só, folks. 
XO XO

4 comentários:

  1. Oi Alana,

    Eu nunca li a obra do Lewis, mas tenho muita vontade de conhecer a história da Alice escrita por ele.
    Os outros dois livros ainda não li também, mas não sei se leria no momento.
    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, acredito todos conhecemos a estória por alto por causa das adaptações tanto cinematográficas quanto literárias, mas o texto original eu nunca li por isso quis conferir. *-*

      Excluir
  2. Oi Alana, gostei das suas leituras. Eu sei bem como é isso viu, a gente tem outras responsabilidades além do blog e sou da mesma opinião que você. As coisas têm de ser bem feitas né. E os posts que fazemos quando estamos com vontade, são os que alcançam mais pessoas.
    Beijokas
    [SORTEIO] Aniversário de 1 Ano: Livro - Perdida
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Pri. Gosto de tudo intrínseco e bem feito. *-*

      Excluir